Dragão dos Parafusos: 60 anos de varejo na capital cearense


A Dragão dos Parafusos, que este mês completou 60 anos de existência, percorreu um longo caminho desde que o fundador Álvaro Machado, decidiu abrir um pequeno comércio na Rua Meton de Alencar, com materiais elétricos herdados de seu pai. A loja, que em pouco tempo passou a ser conhecida pelos seus parafusos e mais recentemente pelos fixadores, hoje é uma das maiores presenças no ramo em Fortaleza.

Maria Isabel Carvalho Machado, filha do fundador e sócia da empresa, conta que o segredo é bem simples: pessoas. “Pode ter o melhor sistema, a melhor infraestrutura, capacidade técnica, pode ter tudo, mas se não tiver gente boa do seu lado, com quem você pode contar, não tem como”, diz. O dia a dia de Maria Isabel na administração das cinco lojas da empresa é facilitado pela confiança que tem na competência de seus gestores e colaboradores em geral.

O pensamento, no entanto, não se limita a quem está do lado de dentro do balcão, incluindo também quem está do lado de fora, sendo atendido. O acompanhamento dado aos colaboradores para valorizar acima de tudo as pessoas, vai desde o gerente geral até o rapaz que varre o chão, conta ela. Assim, se um cliente chegar e todos os funcionários do balcão estiverem ocupados, o rapaz é orientado a largar a vassoura por um minuto e receber o freguês, nem que seja só para dizer que ele logo será atendido e oferecer uma água ou cafezinho.

Importância

Essa atenção à importância de lidar com os outros do modo correto, que Maria Isabel aprendeu com o pai, não vem por acaso: Há exatos 60 anos, nos primeiros momentos de existência da Dragão, o jovem Álvaro Machado fazia sozinho o serviço de uma equipe inteira, incluindo as entregas, a limpeza, a administração e, claro, as vendas.

A ambição e a perseverança do jovem comerciante eram ferramentas indispensáveis para tocar o negócio, que começava com capital escasso e competindo com nomes maiores e já estabelecidos.

No entanto, foi exatamente nas dificuldades onde a loja encontrou seus artifícios mais valiosos para crescer. Seu Álvaro, que tinha como objetivo trabalhar com venda de peças automotivas, não tinha os recursos necessários para ter acesso à maior parte dessas mercadorias. O que cabia no bolso era justamente o parafuso, a peça barata que os concorrentes à época esnobavam pelo baixo retorno financeiro e que acabaria marcando de modo permanente a atuação da loja. O sucesso subsequente faria com que a então apenas Dragão, passasse a ser a Dragão dos Parafusos, como é conhecida até hoje.

Essa perspicácia para observar oportunidades no mercado e se colocar à frente é parte fundamental do estilo de atuação da loja até hoje, conta Maria Isabel. “Atender ao cliente no básico todo mundo faz, mas no diferente, no que é trabalhoso, não”, pontua. Com isso em mente, o compromisso na hora de tratar dos negócios é resolver a vida do cliente no aqui e agora, com flexibilidade na logística de modo a fazer com que o atendimento seja tão personalizado quanto puder.

Empresa precisa se aperfeiçoar constantemente

A Dragão dos Parafusos, com um total de 162 colaboradores e atendendo uma média de 750 clientes por dia, hoje tem como foco principal de vendas os fixadores. Segundo Maria Isabel, eles respondem por cerca de 70% do faturamento da empresa atualmente. A mudança de rumo para seguir nessa direção aconteceu há cerca de 15 anos, a partir de clientes manifestando interesse por produtos de linhas diferentes ao que já se comercializava na Dragão, à época.

Os aperfeiçoamentos, no entanto, não se restringem ao passado: a gestora conta que, recentemente, uma despesa considerável que tiveram diz respeito à implantação de um sistema mais moderno de tecnologia da informação (TI), incluindo atualização de provedores e mão de obra especializada para o trato com a tecnologia. Maria Isabel conta que já consegue enxergar efeitos positivos: “Eu tenho mais sensação de ter a empresa na palma da mão”, ressalta.

Nos tempos atuais, com as dificuldades observadas em praticamente todos os setores da economia, a Dragão dos Parafusos teve retração em 2016, mas já encontra chão consideravelmente mais firme em 2017. Os resultados mensais, apesar de variarem entre positivos e negativos até o momento, apontam para uma estabilidade maior, com a empresa já tendo acumulado cerca de 2% de crescimento de janeiro para cá.